quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Quer ouvir o novo CD de Wanderley Monteiro? Nós também!


Por Marcelo Dunlop

Um dos sambistas mais completos da nova geração, Wanderley Monteiro é uma grande figura, portelense que chegou pisando manso em Madureira e hoje é um bamba de respeito.
Compositor e cantor ativo no Spanta Neném, já disputou e já foi jurado da escolha de samba do Spanta, cantou nos eventos de carnaval e no Morro de Alegria. Mas apesar de tudo isso, o novo CD dele precisa de um detalhezinho para ficar bom: a sua ajuda.


Por falta de apoio cultural e patrocínio, Wanderley Monteiro não conseguiu juntar todos os recursos para terminar de gravar e distribuir seu segundo CD, “Consagração – Wanderley Monteiro descendo o morro". O projeto promete. "Consagração", a música que dá nome ao disco, é uma música dele com Toninho Nascimento, em homenagem à madrinha Beth Carvalho.

O CD agora só depende de nós. Junto com amigos, fãs, admiradores da música de qualidade, o sambista nascido na comunidade da Babilônia montou duas formas de você ajudar o disco a sair:



ATRAVÉS DO MOVERE.ME
1. Realizar o cadastro
2. Escolher o valor referente a recompensa
3. Escolher a forma de pagamento (somente cartão)



DEPÓSITO
1. Escolher o valor referente a recompensa (site : movere.me)
2. Banco Brasil (001) agencia 3010-4 Conta Poupança 979 2711-2 (variação 01)
2. Realizar o depósito referente a recompensa escolhida (imprescindível) e enviar o comprovante para o e-mail mdbraganca@uol.com.br

Contribua, com a verba e divulgando este projeto para amigos e amantes do samba.

Vai, em primeira mão, trecho da letra "Consagração":
"Eu que nasci com o samba na veia
Não vou me calar jamais
(...)
O seu batuque mestiço 
Me envolve e me encanta
Feliz de quem
Anda no chão de um povo que canta”


quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Arruda prá Spantar o Mau-olhado


O Arruda, grupo de samba de raiz, foi criado em 2005 por cinco amigos moradores de Vila Isabel que tinham a intenção de promover rodas de samba e resgatar compositores como Noel Rosa, Cartola, Candeia, Monsueto, Zé Ketti, João Nogueira e outros baluartes do gênero. Hoje, o grupo é reconhecido pelo seu refinado repertório, composições próprias. seus nove integrantes: Gustavo Palmito (repique de mão), Fabão (tan-tan), Bubba (percussão), Marcelinho (rebolo), Popó (percussão), Paulo Zerbini (voz e pandeiro), Leandro Junior (violão), Armandinho do Cavaco (cavaquinho) e Maria Menezes (voz), vencedora da Mostra de Novos Talentos Carioca da Gema 2010.
O grupo foi batizado com este nome após os seus nove integrantes levarem um jarro com a planta, figas, uma carranca e olhos de boi para a roda que realizavam em frente à quadra da Mangueira, na barraca da Tia Zezé, para atrair bons fluidos, já que tinham constantes problemas devido à falta de estrutura do local. A partir deste dia, tudo transcorreu bem e os frequentadores criaram o ritual de colocar ramos de arruda atrás das orelhas e batizaram de “Pagode da Arruda”. Lá, eles ficaram conhecidos e, durante três anos, centenas de pessoas passaram a se reunir no local aos sábados à noite até o amanhecer. Em 2011, passa a se chamar apenas “Arruda”.
Por conta da alegria contagiante e batucada incomparável, se apresentaram em eventos fechados e casas de shows como: Dito & Feito, Gente Fina, Mistura Carioca, Teatro Odisséia, Centro Cultural Cartola, Terreirão do Samba, Choperia Brazooka, G.R.E.S Mangueira, Vila Isabel e São Clemente, no Rio, e Mercado Municipal, Bar Mangueira e Bar Salve Jorge, em São Paulo, entre outros. O grupo também agitou o evento da Secretaria Especial de Aquicultura e da Pesca, comandou a festa da Entrega da Chave do Carnaval, no Palácio da Cidade, ambos em 2009, além de inúmeros aniversários, casamentos e festas empresariais.
Outro ponto de encontro foi o Bar da Nalva, conhecido como Ladeirinha da Lapa. Todas as sextas, uma multidão subia as ruas para sambar. De lá, as apresentações semanais partiram para a casa de shows como Parada da Lapa, onde permaneceram por um ano e meio.
Atualmente, o grupo Arruda se apresenta no Bar da Boa, Centro Cultural Carioca, Restaurante Gabinete, Café Cultural Sacrilégio e Casa Rosa.
Neste ano, os amigos sambistas completam seis anos de união neste movimento que leva alegria e energia positiva.